Empresário prepara Paella Gigante e coloca Conceição da Barra no circuito gastronômico do Estado

Conceição da Barra vem se destacando pelos pratos e festivais que são promovidos na cidade. Festival do Camarão com pratos típicos, a maior moqueca do Brasil e agora mais uma edição da Paella Gigante colocam o balneário na rota do turismo gastronômico. Evento que acontece no dia 19 deste mês tem um sabor especial de SOLIDARIEDADE

img-20190404-wa0024
Paella preparada no ano passado para cerca de 500 pessoas

O balneário de Conceição da Barra está ganhando fama e repercussão não apenas pelas belas praias, a revitalização da orla que fez o município retomar o título de Princesinha do Norte, além do pôr do sol mais lindo do Estado. Não, nada disso! A cidade começa a ganhar notoriedade também no circuito gastronômico, graças a ousadia e uma boa dose de criatividade do empresário Roberto Malacarne e suas artes na culinária.

E não é pouca coisa. Para se ter uma ideia, no próximo dia 20, sábado de Aleluia, Malacarne prepara mais uma Paella (Paeja) que será servida para um público de aproximadamente 500 pessoas. E essa será a segunda Paella Gigante que ele organiza em Conceição da Barra. A primeira foi servida no dia 13 de outubro do ano passado (2018), também para cerca de 500 pessoas. Além da Paella, o empresário também coordenou e ajudou na preparação de uma moqueca gigante, juntamente com colaboradores. Essa moqueca levou nada menos que duzentos quilos de cação e, segundo os entendidos do assunto, merece entrar para o Guiness Book (Livro dos Recordes).

facebook_1554470607180

facebook_1554470579518-1
Paella preparada durante o Circuito Gastronômico que aconteceu no final do mês de março, na cidade de Pancas (ES)

 

Paella com sabor de gratidão 

A Paella servida no sábado de Aleluia terá um ingrediente especial que dará um sabor diferenciado ao prato: gratidão. Essa foi a forma que o empresário encontrou para reunir os amigos para uma confraternização e sorteio de uma moto zero, que ele ganhou em consequência do incêndio que destruiu quase todo o Restaurante Casarão, no dia 24 de fevereiro deste ano. Malacarne quer agregar o feriado da Semana Santa com a reunião dos amigos.

“Esse incêndio serviu para um despertamento; para perceber os meus amigos, aqueles que estiveram comigo naquele momento de perdas e tristeza que eu e minha família enfrentamos. A solidariedade e a demonstração de amizade por parte dos meus amigos e de pessoas que eu não conhecia, me fizeram desistir de desistir. Cada mão estendida era uma força para eu me levantar e continuar a luta”, reconheceu o empresário.

A Paella será servida a partir das 12 horas, na praça do Cais do Porto, em frente ao Casarão e será animada pela banda Pôr do Sol, além de outra atração ainda a ser confirmada. Durante o almoço será realizado o sorteio da moto. Os privilegiados que comparecerem vão saborear um prato farto, com muita sustância e por apenas R$ 20,00 (vinte reais), recurso que será aplicado na reforma do Casarão.

Origem da Paella

A Paella tem origem na região de Valência, na costa leste da Espanha. O prato surgiu como alimento dos camponeses, nos séculos XV e XVI, quando saíam para o trabalho rural, levando arroz, óleo de oliva e sal, além do recipiente para cozinhar: uma panela redonda com alças, ampla e rasa chamada de “Paella”. Esse formato facilitava o mexido do arroz e seus componentes durante o preparo, proporcionando um cozimento por igual.

15550135684284509894677204827303

No campo, eles incorporavam à receita do prato os ingredientes que encontravam, tais como, carne de caça, sobretudo de lebre e de pato, legumes da estação e açafrão (especiaria retirada das flores, que dá o colorido amarelado ao arroz.

Passado algum tempo, a Paella difundiu-se e alcançou o litoral. Aí acrescentou-se os frutos do mar: camarões, lulas, vôngoles, mexilhões, lagostins e polvo, tornando-o um prato misto de terra e mar.

A origem da Paella vem do latim “Patella”, bandeja usada na antiga Roma destinada às oferendas aos Deuses, nos rituais de fecundação da terra. Dizem também os historiadores que a palavra “Paella” surgiu quando os trabalhadores rurais voltavam para seus lares nos finais de semana e em homenagem às suas esposas preparavam essa  iguaria “Para Ellas” dando origem ao nome.

A Paella é um prato festivo que os Espanhóis saboreiam em datas marcantes como casamentos, aniversários, batizados, feriados religiosos e finais de semana.

Fonte: https://www.londrinatur.com.br/guia/guia-gastronomico-londrina/

 

Da Espanha para  o mundo

A paella rompeu as fronteiras da Espanha e ganhou outros países mundo afora. No Uruguai, por exemplo, já foi preparada uma paella durante festival gastronômico, que foi  servida para quatro mil pessoas e considerada a maior do mundo. No Espírito Santo, o balneário de Iriri (Anchieta) também teve a sua paella gigante. Em 2013 durante festival de gastronomia foi preparada 700 quilos desse prato, servido para cerca de duas mil pessoas.

Para a paella de Conceição da Barra, Roberto Malacarne vai utilizar em torno de 200 quilos de carne, 50 quilos de arroz, além de legumes e tempero verde. A iguaria será feita em panela de cobre de 1 metro por 70 centímetros de circunferência. Além de frutos do mar, Malacarne vai usar o peito de frango e carne de porco, tudo cortado em cubos. Prato que ele considera o tradicional.

Confira os ingredientes

20 quilos (kg) de tentáculos de lula gigante; 20 kg de anéis de lula; 20 kg de mexilhão; 20 kg de camarão descascado; 20 kg de filé de peixe (cação ou baiacu); 10 kg de camarão médio, com casca; 20 kg de filé de peito de frango; 20 kg lombo suíno; cinco kg de pimentão amarelo; cinco kg de pimentão verde; cinco kg de alho descascado; um saco de cebola; três caixas de tomate; 50 kg de arroz parboilizado; dez litros de azeite; dois quilos de açafrão; um kg de corante; um garrafão de vinho branco seco; dois pacotes de delícias do mar.

Para ajudar o empresário nos preparos dessa iguaria, ele vai contar com a colaboração de quatro cozinheiros e dois ajudantes.

Roberto faz uma ressalva e orienta as pessoas que queiram preparar uma paella em casa, para dez pessoas, por exemplo. Segundo ele, é só utilizar 400 gramas de frutos do mar e carnes, além dos legumes. Os temperos verdes ficam a critério de cada um em relação à quantidade, que dever ser pouca, naturalmente.

Convites para festas e festivais

Depois que a fama da paella e moqueca gigante correram trecho, o empresário tem recebido alguns convites para participar de eventos em outros municípios.  Na última semana de março, por exemplo, Roberto Malacarne participou do Primeiro Festival Gastronômico de Pancas, onde preparou diversos pratos a base de frutos do mar.

facebook_1554470579518
Depois de Conceição da Barra, o empresário será voluntário no Leilão Solidário, em Linhares, onde vai preparar a sua especialidade: a Paella Gigante

Já no dia quatro de maio ele foi convidado a participar do Leilão Solidário que acontece em Linhares, onde vai preparar também uma paella gigante. Roberto participa de forma voluntária, porque o evento tem como principal objetivo arrecadar recursos para os hospitais São Camilo, em Aracruz, e Rio Doce, de Linhares. “Me sinto privilegiado em fazer parte dessa festa que será grandiosa e com espírito beneficente. Estou feliz”, destacou o empresário.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: